Mais um Alimento do Cerrado na Arca do Gosto

A Arca do Gosto é um catálogo mundial dos produtos agroalimentares de qualidade que estão em risco de desaparecer realizado pela Fundação Slow Food para a Biodiversidade. Para ser incluído na Arca, o alimento precisa ter qualidades gastronômicas, ligação com a área geográfica local, ser produzido artesanalmente e de forma sustentável e estar em risco de desaparecimento. Através do trabalho de investigação de especialistas internacionais, esta embarcação simbólica recolhe mais de 947 produtos em 58 países (dados atualizados em dezembro de 2010). A Arca do Gosto conta hoje com 24 alimentos brasileiros, três dos quais entraram recentemente na embarcação: Maracujá da Caatinga, Piracuí e o nosso Jatobá.

O Jatobá é uma árvore de porte médio que ocorre no Bioma Cerrado, com incidência também em áreas de transição entre o Cerrado e a Caatinga, Amazônia, Pantanal e Mata Atlântica. Os seus frutos são vagens escuras que apresentam uma polpa farinácea amarelo-pálida ou esverdeada, adocicada, muito saborosa e com odor bastante característico. A polpa é aproveitada como alimento, na forma de farinha, podendo ser consumida in natura ou para a elaboração de bolos, pães, biscoitos e mingaus.

O jatobá é um recurso muito importante para vários povos indígenas do Parque Indígena do Xingu e para diversos animais silvestres da região. Trata-se de um alimento tradicional, mas que infelizmente está sendo pouco utilizado pelas gerações mais jovens. Na língua Ikpeng, chama-se Katepó ou Yawra, alimento de grande importância histórica, já que era o suprimento dos guerreiros quando estavam longe de suas roças. Em épocas de falta de mandioca, a farinha de jatobá era utilizada para a preparação de um tipo de beiju, cuja massa era misturada com água, torrada em pratos de barro e consumida com peixe assado. A forma de consumo mais apreciada pelos Ikpeng é uma pasta bastante adocicada composta da farinha de jatobá misturada com mel.

Na AGROTEC (Centro de Tecnologia Agroecológica de Pequenos Agricultores), no Estado de Goiás, a produção se dá a partir de 11 famílias de agricultores parceiros associados, com trabalho e produção coletiva.

No CEPPEC (Centro de Produção Pesquisa e Capacitação do Cerrado) a produção se dá a partir de 10 famílias de agricultores familiares assentados da comunidade de Boa Esperança, diretamente envolvidas no manejo e beneficiamento da farinha.

Saiba mais sobre o Jatobá

Para adquirir a farinha de jatobá, e preparar delícias como o Petit Gateau de Jatobá e a Torta de Jatobá e Banana da Terra Caramelada, entre em contato com a Central do Cerrado.

Fonte: Slow Food Cerrado

[Brasília]: “Desafio” do Pedal Noturno

Aí, é o seguinte…
Dia 24/01, segunda próxima, o pessoal do Pedal Noturno está mobilizando os amantes de bicicleta para bater o recorde de 100 pessoas pedalando no grupo pela cidade. É um “desafio” pela conscientização e confraternização em torno das bicicletas, este meio de transporte limpo e saudável.
Quem quiser participar do grupo, é só aparecer no Gibão – Parque da Cidade – às 20h30. Um incentivo para os iniciantes.
Mais informações no sítio do Pedal Noturno.

A idéia em torno do socialismo ecológico

Mudar radicalmente a racionalidade econômica; aproximar as preocupações da ciência econômica para a necessidade de libertar o homem; criar um novo ambiente propício para a vida de todos os seres humanos, sem a divisão costumeira que privilegia alguns em detrimento de muitos e reconhecer, definitivamente, a existência de limites ao crescimento. São esses alguns pontos centrais da discussão em torno do que se convenciona chamar socialismo ecológico; ou como alguns preferem de eco-socialismo.

Socialismo, sim, no sentido de enaltecer os laços sociais e políticos que respeitam, primeiramente, a Mãe Terra. Socialismo no sentido de fazer a crítica verdadeira ao “deus-capitalismo” que se afirma consoante a idéia básica de que o mercado, altar sagrado do dinheiro, pode tudo. Esse socialismo, aqui defendido, se põe em posição contrária a essa premissa, pois entende que o mercado é incapaz de resolver tudo e que o mundo não pode viver apenas de consumo e mais consumo, como o “deus-capitalismo” sempre quis que assim fosse e quer que assim seja.

Continuar lendo

[Brasília]: Grupo faz confraternização pedalando

É isso aí, é pedalando que a gente melhora a mobilidade da cidade.Link do vídeo.

Todas as noites, um grupo de pessoas se reúne para andar de bicicleta. O ponto de encontro é no Parque da Cidade. Nessa segunda-feira (20), mais de 50 ciclistas aproveitaram a bela lua para pedalar. Homens e mulheres de todas as idades. E os motivos para o Pedal Noturno são os mais variados.

“Descer a Esplanada dos Ministérios é fantástico, a ponte. É muito bacana, é muito prazeroso. Acaba com o estresse completamente”, conta a servidora pública Beatriz de Leão.

E quem disse que pedalar não pode ser um programa de casal. O militar Amilcar Andrade convenceu a mulher Ana Paula Dubeux a participar. “Ele começou vindo aos pedais e dizendo que conhecia muita gente diferente. eu comecei a ficar curiosa. E aí comecei a vir assim, devagarzinho”, conta Ana Paula.

Continuar lendo

WikiLeaks revela que ‘Acordo de Copenhague’ foi manipulado pelos Estados Unidos

Telegramas secretos mostram ‘ofensiva diplomática’ dos EUA pela adesão ao ‘Acordo de Copenhague’ mediante promessa de ajuda financeira

Telegramas da diplomacia americana revelados pelo WikiLeaks mostram uma “ofensiva diplomática” secreta sobre o aquecimento global. Segundo os documentos, a operação política internacional buscou angariar apoio do maior número possível de nações através de empréstimos e ajudas financeiras, com o objetivo de cercar a oposição ao controverso Acordo de Copenhague, documento não-oficial que emergiu das ruínas da COP-15 de 2009, na capital dinamarquesa. Reportagem de Damian Carrington, em The Guardian.

No dia 31 de julho de 2009, o Departamento de Estado dos EUA enviou um telegrama secreto a diplomatas das Nações Unidas sobre uma série de temas, incluindo as mudanças climáticas. O pedido foi originário da CIA. Os diplomatas foram questionados sobre o posicionamento de cada nação e requisitados para apresentar evidências do “esvaziamento” do tratado ambiental da ONU, além de pactos entre nações.

Continuar lendo

[Brasília]: ONG Rodas da Paz arrecada bicicletas para doar no Natal

Com o intuito de atender aos pedidos das cartas do Papai Noel recebidas pelos Correios, a Organização Não-Governamental (ONG) Rodas da Paz, vai arrecadar bicicletas a partir de domingo (21/11) até 15 de dezembro. Os postos de arrecadação serão montados no Eixão Sul e Norte, entre as quadras 207/208, todos os domingos.

Serão aceitas bicicletas novas e usadas, mas que estejam em bom estado. Para facilitar e agilizar a doação, a ONG disponibilizou um endereço eletrônico para que a data e o horário do recolhimento possa ser agendada. Basta enviar um email para doebicileta@gmail.com, e informar o nome completo com a data e a hora de chegada ao posto de arrecadação.

Em 2009, 419 bicicletas foram arrecadadas em quatro meses de doações. Além das crianças que enviam cartas recebidas pelos Correios, algumas que frequentam escolas rurais do Distrito Federal também serão presenteadas.

Fonte: Correio Braziliense

[Brasília]: Entre janeiro e outubro, brasilienses compraram um carro a cada 4 minutos

Esse é o nosso mundo…

Fonte: Correio Braziliense

Entre janeiro e outubro, brasilienses compraram um carro a cada 4 minutos
A frota brasiliense, com mais de 1,2 milhão de automóveis, ganhou o reforço de 96.265 unidades 0km. Confirmadas as previsões do setor, até dezembro outras 17 mil estarão nas ruas da capital federal

Diego Amorim

Quando quita um carro, a advogada Ana Flávia compra outro novo: “O crédito farto permite isso”

Haja rua para tanto carro. Dados obtidos com exclusividade pelo Correio reforçam que a volta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) não arrefeceu a venda de veículos novos no Distrito Federal. Nos primeiros 10 meses do ano, 96.295 automóveis deixaram os pátios das concessionárias, segundo o balanço mais recente do sindicato do setor. Equivale dizer que um carro foi vendido a cada quatro minutos e meio — isso se as lojas funcionassem 24 horas, de segunda a segunda.

Em 2009, 113.686 veículos novos ganharam as vias da capital federal. A frota atual, segundo o Departamento de Trânsito (Detran), ultrapassa 1,2 milhão. Em ritmo frenético, as concessionárias devem comemorar ao fim deste ano o melhor desempenho da história. Serão pelo menos mais 17 mil carros rodando em Brasília até dezembro, caso se confirmem as previsões do setor. A ordem é bater recordes nos próximos dois meses.

No mês passado, o total de unidades comercializadas chegou a 10.414. Houve um recuo de 2,6% na comparação com setembro e de 7,2% em relação a outubro passado. Mesmo assim, as vendas contribuíram para que o acumulado do ano registre, até aqui, um avanço de 0,8% ante o mesmo período do ano passado. A tendência, sustenta o presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos Autorizados do DF (Sincodiv-DF), Ricardo Lima, é que os números de 2010 superem os de 2009.

Tradicionalmente, muita gente pensa em trocar de carro no fim do ano. E com o 13º salário na conta, fica mais fácil tomar a decisão. “Mesmo tendo como referência um ano extraordinário como 2009, por conta do IPI reduzido, provavelmente vamos vender mais este ano”, comenta Lima, antes de lembrar que o consumo de veículos no Brasil só não é maior do que na China, nos Estados Unidos e no Japão. “E em 2011, não restam dúvidas, vamos continuar crescendo”, acredita.

O bom momento da economia brasileira, associado ao crédito em abundância e às facilidades de pagamento, deixa eufóricos vendedores e clientes. Em meia hora — ou antes disso — o cadastro é aprovado e o interessado pode levar para casa um veículo parcelado em até seis anos, sem nada de entrada. “As montadoras estão oferecendo bonificações agressivas. Ninguém no mercado está disposto a perder venda”, comenta Estenio Costa, gerente da Bravesa, concessionária da Volkswagen.

Continuar lendo