Energia do lixo: exemplo de Unaí

Unaí, uma cidade mineira próxima a Brasília, dá exemplo de inovação tecnológica voltada à sustentabilidade. É uma pequena usina de geração de energia por meio da incineração do lixo, tecnologia chamada de Lixo-Para-Energia (Waste-to-Energy).
A matéria foi apresentada pelo programa Cidades e Soluções, da Globo News. A íntegra da reportagem com os idealizadores da solução e com um especialista na tecnologia pode ser acessada aqui.
Vale lembrar que a PNRS – ainda não regulamentada – permitirá a incineração de resíduos sólidos. A princípio, é uma boa solução para o problema dos lixões. Contudo, deve-se atentar para os possíveis impactos ambientais.

Anúncios

Coleta Seletiva no Brasil

Somente 8% ou 443 dos 5.565 municípios brasileiros operam programas de coleta seletiva dos resíduos sólidos. Brasília – apesar de não ser efetivamente um município – está entre eles. Porém, ainda tem muito por fazer.

Segundo a pesquisa Ciclosoft do Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre), apenas 7 cidades são atendidas 100% pela coleta seletiva. E obviamente, Brasília não está entre elas. Aliás, está bem longe disso. São míseros 10% da população com acesso a programas desse gênero, menos do que a média nacional (12%).

Para quem mora na cidade, sabe muito bem que a realidade é decepcionante. Não há apoio governamental e as empresas contratadas para a coleta do lixo não se sentem nem um pouco motivadas a mudar sua forma de atuação. O resultado é um lixão urbano onde são depositadas – sem qualquer tratamento/aproveitamento para ser catado por pessoas marginalizadas socialmente – quase 4.200 toneladas de lixo diariamente. Desse total, cerca de 26% é coletado para reciclagem. Vemos dois erros: (1) a produção de lixo é imensa e (2) o lixo produzido é pouco reciclado.

Enfim, o caminho ainda é grande e estamos a passos de formiguinha. Ninguém sabe quando chegaremos a uma situação satisfatória. Vamos ver se com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), esse cenário muda para o bem da sociedade e do planeta.

A pesquisa completa pode ser acessada aqui.

Falarei mais sobre reciclagem nos próximos posts!