[Brasília]: Bici-entrega da Rodas da Paz

A ONG Rodas da Paz vai lançar, em parceria com o Conjunto Nacional, o serviço de Bici-Entrega em Brasília no dia 2/8 (terça-feira). A bicicleta é um meio de transporte saudável, ágil e não poluente. Cada vez mais, as bicicletas têm sido utilizadas nos grandes centros urbanos. A entrega de encomendas já vem sendo feita por ciclistas em diversas capitais do Brasil e do exterior, evitando os riscos de acidente e a emissão de poluentes e barulho característicos do transporte por moto. Agora, o serviço chega a Brasília.
Na inauguração do serviço de Bici-Entrega, a ONG Rodas da Paz vai entregar kits do shopping Conjunto Nacional a 16 empresas de comunicação. Para realizar o serviço, quatro ciclistas experientes da Rodas da Paz usarão bicicletas preparadas para entrega, com baú próprio e equipamentos de segurança.
Com esse serviço, a ONG Rodas da Paz cumprirá a demanda de entrega e mostrará a viabilidade da Bici-Entrega na capital federal, um serviço 100% ecológico. O shopping Conjunto Nacional inaugurou, em 2009, um bicicletário coberto e gratuito e está apoiando a Rodas da Paz na preparação das bicicletas para o serviço de entrega.

Lançamento da Bici-Entrega em Brasília
Data e horário: 2/8 (terça-feira), 12h30
Local de partida: Shopping Conjunto Nacional

__._,_.___

__,_._,___

[Brasília]: Recanto das Emas se prepara para Programa Transporte Escolar por Bicicletas.

Recanto das Emas se prepara para Programa Transporte Escolar por Bicicletas.

Cidade recebe campanha de mobilização no trânsito para orientar sobre os cuidados no trânsito na relação motorista e ciclista.

Brasília 20 de julho de 2011 – A partir de hoje o Recanto das Emas passará por uma ação educativa com a finalidade de informar a população da cidade sobre o Programa de Transporte Escolar por Bicicletas – “Caminho da Escola”, do Governo Federal, que será lançado no próximo mês.

Com o slogan “Ciclista, Eu protejo”, essa etapa tem por objetivo conscientizar os moradores da região para o cuidado no trânsito no uso de automóveis e sua interação com bicicletas. A campanha sugere o uso de sinais específicos indicativos para uso dos ciclistas nas vias e para conhecimento e respeito do motorista.

A iniciativa dos trabalhos relacionados ao uso de bicicletas deu origem à criação do Grupo de Trabalho de Mobilidade Urbana por Bicicletas no DF, composto pelas Secretarias de Governo, Educação, Transportes, Desenvolvimento Urbano e Habitação, Meio Ambiente, Esporte, Obras, Segurança Pública além do DER/DF, DETRAN/DF E NOVACAP.

As ações educativas no Recanto das Emas seguem o seguinte cronograma:

26/07

Hora Atividade Local Unidade responsável
8:30 Ação Educativa de divulgação Quadra 203 Detran/Secretaria de Governo/Secretaria de Educação
14:30 Ação Educativa de divulgação Quadra 106 Detran/Secretaria de Governo/Secretaria de Educação

27/07

Hora Atividade Local Unidade responsável
8:30 Ação Educativa de divulgação Quadra 106 Detran/Secretaria de Governo/Secretaria de Educação
14:30 Ação Educativa de divulgação Quadra 203 Detran/Secretaria de Governo/Secretaria de Educação

31/07

Hora Atividade Local Unidade responsável
8:30 Passeio Ciclístico na Cidade Entrada da Cidade/posto de gasolina Detran/Secretaria de Governo/Secretaria de Educação/ONG Rodas da Paz

Mais detalhes

Secretaria de Governo do Distrito Federal

Assessoria de Comunicação Social

61 3961 1719 / 3961-1716

seg

[Brasília]: Formação de motoristas – atividade da ONG Rodas da Paz, amanhã, às 8h

Informe sobre ação educativa da ONG Rodas da Paz

A nova diretoria da Rodas da Paz, eleita no dia 9 de junho, tem como foco a educação no trânsito. Sabemos que um fator de insegurança aos usuários de bicicleta é o desrespeito ao código de trânsito, causado por imprudência e desconhecimento dos motoristas.

Assim, a Rodas da Paz propõe essa atividade para orientar motoristas sobre o transporte saudável (não motorizado), de forma a garantir a boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres. O transporte por bicicleta tem inúmeras vantagens (é saudável, não poluente e econômico) e precisa de incentivos. Além de infraestrutura adequada – ciclovias e ciclofaixas, por exemplo –, é necessário investimento em medidas educativas.

Rodas em Ação: formando motoristas cidadãos

– Objetivo da ação: Instruir motoristas sobre as formas saudáveis de locomoção (transporte por bicicleta e a pé, por exemplo); apresentar as características desses modos de transporte e a legislação que protege e incentiva os que optam pelo transporte saudável; oferecer ao motorista, na prática, a percepção do ciclista.

– Descrição da ação: O curso terá duas partes: teórica e prática. Na primeira parte, serão apresentados o contexto da mobilidade no Distrito Federal, as condições para a mobilidade saudável e a legislação (código de trânsito e leis distritais) que protege e incentiva o transporte saudável. Na parte prática, o motorista se locomoverá por bicicleta e terá a percepção das necessidades de um ciclista ao se locomover.

A atividade terá duração aproximada de duas horas. A intenção é disseminar a formação em cidadania no trânsito e mobilidade saudável aos motoristas em formação, motoristas que cometam infrações contra usuários de bicicleta, instrutores de centros de formação de condutores, motoristas de ônibus, autoridades de órgãos de trânsito e agentes de trânsito. Nessa primeira edição, dez motoristas serão convidados a participar.

– Resultados esperados: conhecimento acerca da mobilidade urbana saudável; conscientização sobre a importância de proteger ciclistas e pedestres (direitos assegurados pelo código de trânsito); conhecimento do princípio do código de trânsito que afirma que o maior protege o menor (motorizados prezam pela segurança dos não motorizados).

Rodas em Ação: formando motoristas cidadãos

Data e horário: 8 de julho (sexta-feira), às 8h.

Local: Tenda da Rodas da Paz, instalada às margens da ciclovia do Parque da Cidade, próximo à Administração do Parque (Estacionamento no 13).

Parcerias: Diretoria de Educação do Detran-DF e Administração do Parque da Cidade

Realização: ONG Rodas da Paz

http://www.rodasdapaz.org.br/

[Brasília]: Projeto Tricicletas – Os Teixeiras

Fiquei sabendo de um projeto solidário bem bacana aqui em Brasília.

Trata-se do Projeto Tricicletas do grupo “Os Teixeiras”.

Eles recolhem bicicletas doadas pela população e transformam-na em tricicletas para pessoas com dificuldades de locomoção. As que não eles não conseguem transformar, são vendidas para angariar fundos para o projeto. Vale a pena conferir!

Quem tiver uma bicicleta que não use, faça uma ação solidária, doe-a!

Mais informações aqui.

[Brasília]: Manifesto PAZ NO TRÂNSITO

Convocação do Rodas da Paz para manifestação na Esplanada pedindo paz no trânsito e respeito aos ciclistas!

Caros amigos da Bicicleta,

Com certeza o ocorrido em Porto Alegre tem relação com subconsciente do motorista de que não vai acontecer nada com ele, a impunidade faz o motorista cogitar escapar sem ser indiciado ou preso.

Conclusão fácil: Falta criar no motorista a sensação de que se ele agredir os ciclistas ou outro componente do transito, ele realmente terá uma pena severa, como acontece nos países que privilegiaram a bicicleta.

Em países como Holanda, França, Estados Unidos é possível observar os motoristas esperando até que a via seja liberada pelo ciclista. Não é só paciência nem cultura. Ele sabe que vai pesar no bolso e na vida dele, o gesto insano de partir para a agressão ao ciclista. A “cultura da bicicleta” que vemos nestes lugares não foi um presente dos poderes constituídos, foi uma batalha ganha com muitos esforços e de muitos. Apoiado em uma boa dose de legislação, investimentos em obras físicas que promovem segurança dos usuários da bicicleta, fiscalização e conscientização da comunidade de que têm direitos e deve cobrar que sejam atendidos.

Então convocamos a todos, ciclistas, familiares de vítimas do trânsito, simpatizantes da bicicleta, entidades de direitos humanos e todos que ainda tem a capacidade de se indignar com atos de insanidade como deste motorista de Porto Alegre que tornou real o mais presente de nossos pesadelos: a invasão do pelotão por um motorista insano.

Pautaremos a imprensa e Faremos a entrega da DECLARAÇÃO DE ÓBITO dos Códigos de Transito e do Código Penal Brasileiros.

Convocação Geral: Participe.

Manifestação Pacífica: ENTERRO SIMBÓLICO DO CÓDIGO DE TRÂNSITO E DO CÓDIGO PENAL BRASILEIROS.

Local: Gramado do Congresso Nacional, Rua das Bandeiras, onde temos anualmente a maior mobilização de Brasília pela civilidade no transito: O Passeio Ciclístico Rodas da Paz.

Data: 03 de março de 2011 – Quintas-feiras

Horário: 13h

Vista uma roupa branca,

Vá de bicicleta, de carona, de ônibus, a pé, mas vá. Participe.

Colabore com as ações pós-manifestação.

Segue o texto original da Convocação, concebida por nosso amigo ciclista Weimar Penttengil

http://www.weimarpettengill.blogspot.com

Ronaldo Martins Alves

Presidente

ONG Rodas da Paz

http://www.rodasdapaz.org.br

Bicicletas em um Porto não muito alegre

Infelizmente, uma notícia muito triste sobre a falta de respeito para com o próximo. Mesmo não tendo nossas concepções, a ética não permite tal comportamento.
Meus sentimentos solidários aos ciclistas gaúchos, que assim como nós “candangos”, lutam por cidades com menos automóveis.

“Tudo poderia ter mudado, sim
Pelo trabalho que fizemos, tu e eu
Mas o dinheiro é cruel e um vento forte levou os amigos
Pra longe das conversas, dos cafés e dos abrigos..

Dificil é saber o que acontecerá
Mas agradeço ao tempo: o inimigo eu já conheço
Sei seu nome, sei seu rosto, residência e endereço
A voz resiste e a fala insiste, você me ouvirá
A voz resiste e fala insiste, quem viver verá”

Belchior ( Não leve flores)

“Bicicletas em um Porto não muito alegre”
Por Paulo Marques do @autogestaobr

A cidade de Porto Alegre já foi símbolo de muitas “possibilidades”, inclusive em uma não tão distante época falava-se que aqui nesta “leal e valorosa” estava-se ensaiando “um novo mundo possível”; alguns até diziam que era uma verdadeira Aldeia Gaulesa de solidariedade e democracia que enfrentava o império neoliberal.

No entanto, parece que a fortaleza dos irredutíveis atualmente ficou no passado, pois o que restava dessa idéia generosa de uma cidade de todos (as) e para todos (as) aos poucos vai sendo enterrada, seja por uma gestão pública incapaz, seja por uma classe média cada vez mais elitista e preconceituosa. A quase tragédia ocorrida ontem na cidade baixa, quando cerca de 20 ciclistas do movimento massa crítica foram atropelados por um carro, de forma claramente proposital, como destacam as testemunhas, é apenas o aspecto mais visível deste cenário. Representa a consolidação da cidade como mero espaço voltado para o bom e eficiente funcionamento do mercado, o que significa o mal funcionamento para as pessoas, refletindo inexoravelmente a lógica do sistema capitalista.

Um movimento que propõe a substituição do uso do automóvel pela bicicleta acaba sendo, neste contexto, uma “ação de inconsequentes”, “quixotes” enfrentando “moinhos de vento” e portanto, nada mais lógico de “acabar com a palhaçada” (talvez este tenha sido não só o pensamento do motorista que causou o acidente, mas de muitos leitores de jornal). Da mesma forma que a participação popular nos assuntos da gestão pública “atrapalha” o gestor, a circulação de homens e mulheres em suas bicicletas “atrapalham” o fluxo das belas máquinas da modernidade. Assim se constroem os consensos, “senso comum” via mídia monopolista e oligárquica (apesar do movimento massa crítica realizar ações desde o ano passado, foi necessário um acidente para que o tablóide da família Sirotski mencionasse a existência do mesmo)

Está aí, de forma muito clara, na prática e não apenas na teoria, a comprovação da máxima do velho mouro segundo qual a “ideologia dominante é sempre a ideologia da classe dominante”. Senão vejamos, é minimamente racional que apenas uma pessoa utilize um automóvel no qual cabem cinco pessoas, ocupe um enorme espaço nas ruas, polua o ambiente, ponha em risco a vida de pessoas dentro e fora do veículo para percorrer, em media 5 ou 10 kilometros? Em uma velocidade de 20 kilometros por hora? A resposta pode ser positiva, é sim, desde que visto de determinado ponto, ou seja, de determinada idéia de cidade, de mundo, de ideologia.

Continuar lendo